terça-feira, 19 de novembro de 2019

Sobre uso de óleos essenciais em Pacientes Paliativos

Muito se fala nos dias atuais sobre tratamentos em terapias paliativas.

Resultado de imagem para cuidados paliativos

Então como definiremos o que são pacientes paliativos, e cuidados paliativos?

Quando falamos de cuidados paliativos, estes se baseiam na qualidade de vida dos pacientes, e não na duração da vida destes indivíduos. Iremos oferecer um cuidado a estas pessoas que estão em alguma fase que necessite, além de tratamentos normais decorrentes de alguma patologia, ou pessoas, indivíduos que possuem alguma patologia crônica. O que oferecer ?
Em primeiro lugar, quando penso como psicóloga o que quero oferecer a esta pessoa, é carinho, atenção, e melhorar seu bem estar geral. 

Melhorar seu sono, seu dia a dia, baixar o máximo possível a angustia e ansiedade normal a todos nós, mas que em fases que passamos podem ser piores. 

Utilizar óleos já considerados, ansiolíticos, e anti depressivos, por uma série de trabalhos científicos, além de grande evidência clínica que tenho tido nestes meus últimos 40 e tantos anos de uso dos óleos essenciais. 

Tratar também da pele destas pessoas que estão se submetendo a quimioterapias, radioterapias, ou hemodiálise, e que causam alguns transtornos no sistema tegumentar.
Além disto, também oferecer assistência humana e compaixão para as pessoas nas últimas fases de uma doença incurável para que possam viver o mais confortavelmente possível.
Abaixo deixo um link sobre pesquisa que foi realizada com o óleo de Lavanda.
Mas se lembrem que além da Lavanda, temos muitos óleos essenciais que podem auxiliar e muito nesta fase.
Citarei alguns além da pesquisa:
  • Ho Wood - Substituto da Lavanda para tratamento de ansiedade e insônia;
  • Semente de Cenoura Como regenerador celular em conjunto com o óleo de semente de usa.
  • Todos os cítricos, como poderosos anti -tumorais e também para baixar a ansiedade, pelo seu majoritário o LIMONENO.
  • Lemongrass: Ansiolítico também
  • Litsea Cubeba: Ansiolítico
  • Estes são óleos comuns, e recomendo a utilização  na dosagem de apenas 1%.
  • Ou seja para cada 100 ml de óleo vegetal de semente de uva recomendo no total apenas 25 gotas, podendo ser realizada uma linda sinergia com alguns dos óleos acima.
Interessados em curso:
Aromaterapia em cuidados palitivos
  • Para quem se interessar, para 2020, estarei com curso para a área de aromaterapia em cuidados paliativos, e toda a ação da By Samia em hospitais.
  • Gabriela - whats up 982691298
  • Ou pelo email
  • cursos@bysamia.com.br
  • E para quem quiser fazer compras no site By Samia entre com meu cupom para terem descontos
  • BLOGDASAMIA

Pesquisa
Lavender Aromatherapy: Examining the Effects of Lavender Oil Patches on Patients in the Hematology-Oncology Setting.


Um grande beijo e estou a disposição para maiores informações
Sâmia Maluf

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Um pouco sobre o uso de óleos vegetais como carreadores



Olá pessoal, bom dia.
Em meus cursos de aromaterapia e o uso de óleos essenciais e óleos vegetais, muitas pessoas saem confusas, com tantos óleos essenciais e vegetais que existem, com tantas propriedades para vários usos.
Com o estudo de um novo livro na área de dermatologia disponho um formato de óleos vegetais para uso que talvez ajude de um modo mais rápido para escolha de uso.
Este modelo não se encaixa na estética, pois ai seriam outros fatores a serem observados, tais como as vitaminas e os compostos de cada óleo vegetal, mais específicos para cada necessidade nos tratamentos faciais.

 Resultado de imagem para oleos vegetais 

Seu sítios de Ação - Estrato Córneo
Mecanismo de Transporte -  Distribuição / Difusão
Tipo de Óleo Vegetal
Abacate
Germe de Trigo
Rosa Mosqueta
Argane
Calêndula
Para quais afecções
Micoses
Parasitoses



Seu sítios de Ação - Epiderme
Mecanismo de Transporte - Difusão
Tipo de Óleo Vegetal
Jojoba
Rosa Mosqueta
Argane
Amêndoas Doce
Calêndula
Para quais afecções
Psoríases
Eczema

Seu sítios de Ação - Derme
Mecanismo de Transporte - Irrigação Sanguínea e Difusão
Tipo de Óleo Vegetal
Gergelim
Apricot
Macadâmia
Para quais afecções
Urticária
Prurido

Seus sítios de Ação - Hipoderme/ Musculatura/ líquido Sinuvial
Mecanismo de Transporte - Irrigação Sanguínea e Difusão
Tipo de Óleo Vegetal
Gergelim
Apricot
Copaiba
Para quais afecções
Tendinite
Artrose
Congestões diversas


Seu sítios de Ação - Circulação sistêmica
Mecanismo de Transporte - Circulação sistêmica
Tipo de Óleo Vegetal
Semente de Uva
Para quais  afecções
         Deficiência Imunológica
Hipertensão arterial
Infecções
Problemas orgânicos

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Sobre o Limão Siciliano: Este óleo essencial maravilhoso e suas utilizades

Oi pessoal. Resolvi escrever hoje sobre o tão conhecido nosso: O LIMÃO SICILIANO.

Apesar de  muito conhecido, ainda existem muitos usos deste maravilhoso óleo essencial 

que não é falado. 


Resultado de imagem para limão siciliano

Então vamos lá:

HISTÓRIA
O limão é o fruto do limoeiro. Também conhecido como limão verdadeiro ou limão siciliano (Brasil) é originário da região sudeste da Ásia. Conhecido de Gregos e Romanos, a primeira referência sobre este citrino encontra-se no livro de Nabathae sobre agricultura, datando do século III ou IV.
Trazido da Pérsia pelos conquistadores árabes, disseminou-se na Europa. Há relatos de limoeiros cultivados em Genova em meados do século XV bem como referências a sua existência nos Açores em 1494.

NOME COMUM (POPULAR) E SINÔNIMOS
Limão, limão siciliano, limão-eureka, limão-feminello, limão-monchelo, limão-lisboa, limão-verde, limão-verdadeiro, zitrone (alemão), lai men g (chinês), limón (espanhol), citron (francês), etc.

ASPECTOS BOTÂNICOS
Os limoeiros são árvores pequenas, pertencente a famíla das rutáceas, não atingem mais de 6 metros, sempre verdes, espinescentes, muito ramificadas, de caule e ramos castanho-claros, as folhas são alternadas, oblongas e elípticas, com pontos translúcidos, as inflorescências são flores axilares, alvas ou violetas, em cacho. Reproduz-se por estacas de galhos, em solo arenoso e bem adubado, de preferência em regiões de clima quente ou temperado.
Propaga-se também por sementes, que requerem solo leve, fértil e bem arejado, em local ensolarado e protegido dos ventos. Frutifica durante todo o ano, em inúmeras variedades, que embora mudem no tamanho e na textura da casca, que pode ser lisa ou enrugada, quanto à cor, variam do verde-escuro ao amarelo-claro, exceto uma das espécies, que se assemelha a uma tangerina.

PARTE UTILIZADA DA PLANTA: Folhas, frutos e casca

TIPO DE EXTRAÇÃO: Espremedura ou destilação

COMPOSIÇÃO QUÍMICA: Óleo volátil (2,5% da casca), limoneno (62,1-74,5%); alfa-pineno (1,8-3,6%); canfeno (0-0,1%); beta-pineno (6,1-15,0%); sabineno (1,5-4,6%); mirceno (1,0-2,1%); alfa-terpineno (0-0,5%); linalool (0-0,9%); beta-bisaboleno (0,56%), trans-alfa-bergamoteno (0,37%); nerol (0,04%); neral (0,76%).

AÇÕES FARMACOLÓGICAS
Propriedades: Antiácido, anti-esclerótico, antiescorbútico, antinevrálgico, antirreumático, anti-pruriginoso, antisséptico, adstringente, bactericida, carminativo, cicatrizante, depurativo, diurético, emoliente, escarótido, febrífugo, hemostático, estimulante do fígado, hipoglicêmico, hipotensor, inseticida, laxativo, estimulante do estomago, tônico geral e vermífugo.
Mente: É refrescante e relaxante quando há sensação de calor e incomodo, ajudando a produzir clareza de idéias. Ajuda a “abrir o coração”, aliviando os medos emocionais e sensação de perda. Sua fragrância permite uma meditação profunda.
Corpo: É um extraordinário tônico para o sistema circulatório, liquefazendo o sangue e facilitando o fluxo sanguíneo, aliviando, assim, a pressão nas varizes. É um tônico eficaz para o coração, muito usado para baixar a pressão arterial em caso de hipertensão. Restaura vitalidade às hemácias, amenizando condições de anemia. Ao mesmo tempo, estimula os leucócitos, revigorando, assim, o sistema imunológico e ajudando o organismo a combater doenças infecciosas.
Acredita-se que seja útil em casos de hemorragia nasal e controle a hemorragia externa de um modo geral. Sua natureza antisséptica alivia inflamações de garganta, tosses, resfriados e gripe, especialmente quando acompanhados de febre, pois ajuda a baixar a temperatura do corpo. Parece aliviar as dores em diversos tipos de herpes.
Melhora o funcionamento do sistema digestivo, combate a acidez no organismo e torna o estômago mais alcalino. Parece auxiliar a produção de secreções pancreáticas e tem sido usado para tratar o diabetes. Tem ação descongestionante sobre os rins e o fígado e uma ação purificadora sobre o organismo em geral. Pode ser útil nos tratamentos de prisão de ventre e da celulite.
Acredita-se que alivie dores de cabeça e enxaqueca, além de dores nevrálgicas, reumatismo e artrite.
Ajuda a amenizar as ferroadas e picadas de inseto.
Pele: Dá brilho a feições pálidas e embotadas, removendo células cutâneas mortas. Suaviza vasos capilares rompidos e tem uma ação purificadora eficaz em peles e cabelos oleosos. É um remédio popular para remover calos e verrugas. Também tem efeito suavizante sobre o tecido de cicatrização e age como fortalecedor de unhas fracas.

PRECAUÇÕES
Quando usado externamente, não deve expor a pele ao sol, pois queima e provoca manchas escuras. Em aromaterapia é desaconselhada para quem tem pressão baixa, em doses elevadas é convulsivo, provoca tremores, delírio e vertigens. Não usar nos três primeiros meses de gestação.

OBSERVAÇÕES/ CURIOSIDADES
Quantidade para extração: 200 kg para 01 kg de óleo essencial
Nota: Alta
Planeta: Sol
Elemento: Água
Aroma: Fragrância cítrica – refrescante e forte
Cor que vibra: Amarela
Efeito nos doshas: Diminui o Pitta, Kapha e o Vata
Qualidade: Yin
Chakra: Está associado ao Plexo solar / Manipura
Energético: É considerado refrescante e seco, é recomendado para aliviar o calor e a umidade, excelente desintoxicante
Mistura-se bem com: benjoim, cardamomo, camomila, eucalipto, erva-doce, olíbano, gengibre, junípero, lavanda, tília, néroli, rosa, sândalo e ylang-ylang
Tipo de pele: Desvitalizada, oleosa e manchada
Porém ele é muito mais:
Porém deixo algumas recomendações:
Muito se tem falado sobre ingestão de óleos essenciais. Tudo bem, ok! Na França dentro da Aromatologia, existe o modo de uso, tópico, inalatório, em massagem e estética. Porém eles são adeptos ao uso, oral, retal e vaginal. Sou contra a ingestão em casos em que um profissional qualificado este orientando o cliente. Em qual a dosagem exata, mg/kilo, quantas vezes ao dia. Se existe o uso de algum medicamento onde os metabólitos secundários deste óleos essenciais poderão interferir no metabolismo? Pois hoje em pesquisas que não são divulgadas, pois fazem parte de pesquisas científicas que não são abertas ao público, que o óleo de limão, ou o de eucalipto podem interferir nas CYPS. 


Biotransformação e o Papel do CYP.

A maioria dos fármacos possui caráter lipofílico e, em pH fisiológico, permanecem não ionizados ou parcialmente ionizados. Devido a estas características, os mesmos tenderiam a permanecer no organismo, já que seriam reabsorvidos nos rins, após a filtração glomerular. Visando a eliminar estas substâncias exógenas, o organismo pode lançar mão de sistemas enzimáticos utilizados normalmente para a degradação de substâncias endógenas. Desse modo, a biotransformação é a transformação enzimática dos fármacos em metabó1itos com características mais hidrofílicas, tendo como objetivo facilitar a excreção pelo organismo. 

Então um óleo maravilhoso, se usado de um modo irresponsável, ao invés de tratar várias patologias sistêmicas, ou apenas trazer um bem estar, aos que possam usufruir de suas funções na área emocional, pelo seus ativos, este pode estar apenas fazendo mal ao indivíduo que está utilizando  de modo oral, sem os devidos cuidados, e precauções a serem tomadas.
BOM ERA ISTO. USEM ESTE MARAVILHOSO ÓLEO.
PARA QUALQUER DÚVIDA ESTOU AS SUAS ORDENS
Sâmia Maluf