segunda-feira, 15 de junho de 2015

Quer ficar com sua saúde em dia e saber quanto de vitaminas você pode ingerir? Sucos - Além de uns quilinhos a menos




Mais simples, as soluções mais fáceis para você começar a produção de sucos e agora e com óleos essenciais de usar nestes sucos.
Você já se perguntou exatamente como você pode obter todos a quantidade diária recomendada de frutas e legumes em sua dieta? 
A resposta simples, Sucos.
Uma das melhores coisas que você pode fazer para promover a saúde, cura e longevidade é a introdução de suco fresco em sua dieta como parte de seu plano global de nutrição e saúde, além de eliminar toxinas, e eliminar também uns quilinhos.
Considere isso uma discussão aberta para uma conversa amigável sobre a produção de sucos. 
Por favor, sinta-se livre para compartilhar o que você já tentou com fazer seus sucos (se tiver) e que funcionou melhor para você, um ou outro vegetal, frutas entre outras coisas. 
Nós todos podemos nos beneficiar e aprender uns com os outros!
Começar é a parte mais importante dos sucos.
Seu guia geral para o sucesso com suco é "Mantenha-o simples!"
Comprometa-se a uma rotina de sucos frescos e fáceis que funcionem para você. 
Se você tem uma agenda muito movimentada e agitada e você não quer sobrecarregar-se com mais uma coisa a fazer. 
Então, eu irei levá-los através de uma forma que você não achará difícil de começar.
Depois de começar com uma rotina de sucos e você construir esta rotina, você pode ajustar as coisas de modo a serem saudáveis, fáceis, gostosos e nutritivos.

PRIMEIRA não deixe de colocar todos os componentes de seu suco na pia, lavá-los muito bem, e já deixar a centrifuga e ou o liquidificador arrumado para a manhã.


Para muitos de vocês este pode ser o seu maior obstáculo.
Fácil de limpar, este deve ser uma das coisas que você irá verificar.

Eu uso uma escova de cerdas duras para limpar a tela e lâminas depois de suco. É preciso um alguns minutos.

Cortar os seus legumes e frutas. E o que tiver de frutas e legumes congelados, não deixe de comprar.Isso me leva 15-20 minutos do início ao fim para fazer um copo de suco. Minha rotina agora é suco de quatro dias por semana.

Eu faço na quarta-feira, sexta-feira, sábado e domingo de manhã. Sucos durante o fim de semana é mais fácil de encaixar na minha agenda ocupada.Quando eu comecei, eram sucos frescos três dias por semana.

No começo eu tinha para tomar meu suco e lentamente introduzi-lo em meu sistema digestivo.

Como eu me senti um pouco tonto e enjoado pelo oxigênio extra liberado imediatamente em meu sistema.

O oxigênio adicional no seu sistema tem um efeito desintoxicante em todos os seus órgãos e sistemas.

Comece devagar à ouvir o seu corpo.

A intuição de seu corpo irá guiá-lo perfeitamente através do processo.

Escolha os legumes e frutas que você ama o gosto para começar.
Você pode escolher praticamente qualquer vegetais ou frutas para sucos. Qualquer coisa que pode produzir suco!

Eu recomendo SOMENTE sucos vegetais e frutas orgânicas. Caso contrário, você estará introduzindo quantidades concentradas de pesticidas em seu sistema que não produzem os efeitos de limpeza e de cura que você deseja.

Couve ( alta fonte de vitamina K, vitamina A, anti-oxidantes, anti-inflamatória, anti-tumoral)

Espinafre (alta fonte de vitamina K, vitamina A, de manganês, ácido fólico, Magnésio, anti-inflamatória, tumor da próstata)

Pepino (efeito alcalinizante)

Repolho vermelho (alta fonte de vitamina C)

Repolho verde (maior fonte de antioxidantes , protege contra diversas variedades de câncer, reduz o colesterol ruim)

Aipo ( alta fonte de minerais , digestivo e de apoio cardiovascular)Maçã verde (limpador, fibra, minerais, vitamina A, )

Cenoura (alta fonte de beta-caroteno protege os olhos)

Gengibre (anti-inflamatório, aumenta a imunidade, limpador, tônico, ajuda digestivo, anti-câncer)

Alho ( suporte antiinflamatório, antiviral, anti-bacteriano cardiovascular)
Meus óleos essenciais.


LIMÃO (tônico, limpador de sangue)


JUNÍPERO (limpador do sangue, apoio para a função renal,)


GRAPEFRUIT ( Limpador do sistema linfático )

Se gostar deste post compartilhe com outras pessoas que você sente que podem se beneficiar com esta informação.

Muito obrigado por se juntar a mim!

Até a próxima vez ...e agora só relaxar e desfrutar a sua vida.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Para o dia dos namorados

Derivados de ervas e especiarias como canela e gengibre, eles têm aromas envolventes e quentes, e podem ser usados em massagens, no banho ou mesmo na aromatização do ambiente

Massagem a dois: aromas considerados afrodisíacos podem estimular a libido do casal.


Tudo bem que a vida corrida deixa os casais sem tempo para curtir momentos a dois, mas é importante ter em mente que, aos poucos, isso vai esfriando o relacionamento. Quer uma alternativa relativamente simples para recuperar a libido do casal?
A aromaterapeuta Sâmia Maluf dá a receita: invista na aromaterapia, a técnica aposta no uso de óleos essenciais, com aromas fortes e marcantes, para tratar as mais variadas condições, até mesmo aquelas baixas na libido que todo casal enfrenta. Neste caso, explica Sâmia, são usados óleos essenciais considerados afrodisíacos, ou seja, com propriedades que influem no apetite sexual.
A técnica sozinha não resolve os problemas que podem afetar a libido - eles são muitos e das mais variadas origens - mas o uso dos óleos pode estimular positivamente a vida sexual, aponta a aromaterapeuta.
Os óleos incitam o desejo e aumentam a autoestima, principalmente, por exercerem estímulos em diversos sistemas do corpo humano como o endócrino (hormônios) e o circulatório, provocando uma agradável sensação de calor.
A palavra “afrodisíaco” vem da mitologia grega, com o nome da deusa Afrodite, sempre relacionada ao amor e à sexualidade. O que vai determinar se um óleo é afrodisíaco ou não é a composição química.
“Alguns aromas são picantes e poderosos. Os derivados de especiarias são muito úteis, pois têm cheiros fortes e quentes, aumentando a paixão e ajudando quem os recebe, por meio de massagem, aromatização ou mesmo em um banho”, diz Sâmia.
Entre os óleos mais eficazes estão o de gengibre e o de canela, considerados convidativos, pois têm aroma quente e estimulam o coração, segundo a especialista. Também são recomendados o óleo de Patchouli e o aroma de terra Vetiver, por serem sexualmente excitantes e inibirem a timidez. Mas se o problema não for a falta de desejo, a aromaterapeuta recomenda a Sálvia Esclareia, “profunda, sedutora e estimulante sexual”.
Como usar
Todos eles podem ser usados em banhos, massagens ou na aromatização de ambientes. Quando combinados, eles formam o que se chama de sinergia. Para compô-las basta respeitar algumas medidas e o gosto pessoal em relação a cada aroma. O processo é simples, basta misturar os óleos essenciais em um recipiente e guardar a mistura em um vidrinho escuro, que tenha gotejador. Veja a seguir três receitas para preparar uma sinergia.
Sinergia 1: 60 gotas de ylang ylang, 40 gotas de canela, 25 gotas de sálvia esclareia
Sinergia 2: 35 gotas de Patchouli, 60 gotas de gerânio, 30 gotas de gengibre
Sinergia 3: 35 gotas de Vetiver, 40 gotas de gerânio, 25 gotas de sálvia esclareia, 25 de gotas de ylang ylang
Na massagem
É possível usar uma sinergia para massagear o corpo. Para isso use 30 ml de óleo vegetal de semente de uva e seis gotas da sinergia de sua preferência. Aí é só usar a mistura na massagem.
No banho
Basta adicionar 15 gotas da sinergia escolhida diretamente na banheira ou no ofurô.
Na casa
Para aromatizar o ambiente, a sinergia pode ser usada de duas formas: em uma vela ou em um aromatizador elétrico. Com a vela, acenda-a e deixe que a parafina derreta um pouco e adicione seis gotas da sinergia diretamente na parafina derretida. No aromatizador elétrico, basta colocar 10 gotas e acender.
Matéria do site IG.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Para você mamãe aprender a fazer Shantala em seu bebê.


Massagem para Bebês

Muitas gestantes e mães tem muita vontade de aprender, mas pouco tempo contínuo e dificuldades de sair de casa. Fazer massagem no bebê traz uma série de benefícios físicos, como a diminuição do choro, desconforto intestinal, facilita o sono e o relaxamento do bebê, além de ser um excelente momento para estreitar os vínculos de pais e filhos. Nesse curso completo com muita informação de qualidade, você vai se tornar uma especialista nesta técnica, também conhecida como Shantala. Trazida na década de 60 da Índia para o Ocidente e com uma série de estudos científicos que comprovam seus reais benefícios. Neste curso você aprenderá como e quando fazer a massagem, dicas de como adaptar a sequência para cada fase, além de conhecer mais sobre óleos  essenciais.


Na Índia a massagem em bebês faz parte da cultura e é constantemente feito pelas mães em seus bebês. Lá recebe o nome de abhyanga Kumara (abhyanga = massagem com óleo e Kumara = criança).

UM POUCO DA ORIGEM DA SHANTALA NO OCIDENTE.

Frederick Leboyer, médico Francês de renome internacional, conheceu a Shantala, uma jovem mãe paralítica, em Calcutá, na Índia. Ele se encantou com a paciência e o amor que esta mãe dedicava a seus filhos durante a massagem que era realizada todos os dias. Ele fotografou e filmou a seqüência completa desta técnica milenar e levou o conhecimento da arte desta massagem para o Ocidente na década de 70. Shantala, nome da jovem mãe indiana, fundiu-se com o nome da própria massagem. Hoje esta massagem para bebês com base no Ayurveda (ciência indiana que cuida da saúde e do bem estar) é conhecida em todo o Ocidente como Shantala. Esta massagem é mais que uma técnica, é uma arte de se massagear. Aprendemos que podemos transmitir amor e força às crianças através da linguagem primal do toque, e que nas primeiras semanas e meses após o nascimento o bebê pode usufruir dos inúmeros benefícios que a Shantala proporciona.
 “Longe de ser simplesmente um dos cuidados que dedicamos ao bebê, esta massagem é uma arte. Portanto você precisará de um mestre. Felizmente o mestre está aí. Esse mestre é o bebê. Ele vai instruí-la.

 Deixe-se guiar por ele. Virá um dia em que a sua massagem, finalmente, emanará da fonte.” (Frédérick Leboyer)
A técnica é uma orientação do que você pode fazer e de como fazer. Para fazer a massagem em seu bebê você precisa primeiro aprender a técnica e alguns cuidados básicos, mas o principal é o sentimento, o amor, a sensibilidade, sentir o que o bebê precisa, o que ele quer, ele fala através da expressão e dos gestos. Você tem que olhar nos seus olhos e se entregar. Algumas adaptações podem ser feitas, pois cada ser é único e precisa de cuidados diferenciados, mas devemos ficar atentos para manter a essência desta massagem, por isso é importante conhecer a técnica e seus fundamentos e objetivos. Desta forma saberemos o que é uma adaptação saudável, que ajuda o bebê em suas dificuldades, medos e inseguranças, e o que é desvirtuar, alterar de forma a perder os benefícios:
aumenta o vínculo da mãe com o bebê nutre o corpo (com o uso do óleo adequado)
o bebê se sente mais seguro e tranquilo
o bebê dorme melhor diminui as cólicas
desenvolve consciência corporal
ajuda no desenvolvimento geral e favorece o sistema imunológico
É preciso alimentar os bebês.
Sem dúvida alguma.
Alimentar a sua pele tanto quanto o ventre.
É necessário restabelecer o equilíbrio.
E alimentar “o de fora” tanto quanto o “de dentro”.


CUIDADOS ESPECIAIS:
É essencial que as duas mãos estejam relaxadas. Isto só será possível se os seus ombros estiverem livres de tensão, se você sentir a sua respiração e estiver concentrada, vivenciando plenamente o momento. Não esqueça: “O bebê é um espelho. Ele devolve a sua imagem. A imagem da sua liberdade. Ou de suas tensões. Para libertar o outro é necessário ser livre você mesma.” (Frédérick Leboyer) Se você estiver insegura, o bebê vai sentir esta insegurança e pode ficar com medo. Se você estiver nervosa ou agitada, o bebê percebe este sentimento e pode ficar agitado. No entanto se você estiver calma e tranquila a chance do bebê aceitar bem a massagem é muito maior. No começo basta tocar o bebê com suavidade. As suas mãos percorrem o corpo do bebê para que ele se sinta “em contato”. Você pode usar o óleo e olear o bebê sem se preocupar com a massagem propriamente dita. Se você sentir que ele não está bem ou se começar a chorar, pare, pegue o bebê no colo ou mude ele de posição. Ele precisa sentir segurança e acolhimento. Às vezes, nas primeiras tentativas a massagem nas costas, com o bebê de barriga para baixo, apoiado nas suas pernas, fica mais confortável e ele se sente mais seguro. Se for o caso, faça apenas isto. Você não precisa fazer todos os movimentos. Tente, experimente, não desista. No próximo dia, tente de novo e acrescente outros movimentos. Alguns bebês aceitam a massagem bem desde o início, outras precisam de tempo e paciência.



QUANTO TEMPO A MASSAGEM DEVE DURAR?
No início, quando não se trata bem de massagem, a sessão dura apenas alguns minutos (2 à 5). Ela vai aumentar à proporção que o bebê cresça. Não existe um tempo exato. A sessão completa costuma durar de 10 a 15 minutos, mas pode durar mais se você e o bebê estiverem dispostos.

ATÉ QUE IDADE?
Pelo menos nos seis primeiros meses. É muito importante massagear a criança enquanto ela não consegue se movimentar sozinha. Para felicidade de ambos nada impede de ir muito mais longe. Não existe uma idade exata para interromper a prática.

QUE ÓLEO DEVO USAR?
Use sempre óleo de origem vegetal extra virgem, prensado a frio. Ex: óleo de gergelim, óleo de amêndoa doce, óleo de girassol, óleo de semente de uva.
Nos óleos você pode acrescentar algumas gotas de óleos essenciais (100% natural) ( dependendo da idade do bebê ) para  aumentar o valor terapêutico. Observando os que são indicados para bebês. O óleo deve ser levemente aquecido. Poderá ser aquecido em um bowl em banho maria, mas fique atenta a temperatura, é levemente aquecido.
Sempre colocar o óleo na sua mão e espalhar depois no bebê para ter certeza de que a temperatura está agradável. Você pode também utilizar o óleo na temperatura ambiente e aquecê-lo nas suas mãos, esfregando uma mão na outra. Este é um método mais prático e seguro.

COMO DEVE SER O AMBIENTE?
Você deve procurar um local tranquilo e que não tenha corrente de ar. Se estiver muito frio, pode usar um aquecedor de ambiente. Para os bebês maiores, se estiver calor, pode fazer a massagem em uma varanda ou no quintal ao ar livre, procurando não ficar diretamente no sol. Você pode colocar uma música agradável, ou cantar uma canção, ou ficar em silêncio. Em alguns horários e locais você pode aproveitar o som da natureza e dos pássaros. Você pode fechar as cortinas e deixar o ambiente na penumbra. Observe sempre a reação do bebê e veja como ele mais gosta. Você pode fazer a massagem em qualquer horário. Procure observar quando o bebê está mais disposto a receber a Shantala e tente conciliar com os horários que você está mais disponível e que a casa está mais tranquila.

QUANDO NÃO FAZER?  Quando o bebê estiver de barriga cheia. Procure esperar 1 hora depois da última mamada.  Quando ele estiver com febre. Se ele estiver com muito sono ou com fome ele pode ficar irritado e não aceitar bem a massagem. Não massagear a região da barriga até que o umbigo esteja totalmente cicatrizado. Quando você não estiver se sentindo bem.

COMO FAZER? Na Índia, as mães normalmente massageiam seus bebês deitando-os sobre suas pernas estendidas. Assim o pequeno ser sente a mãe de forma muito intensa. Mas se o bebê não aceitar bem esta posição ou se a mãe tiver dificuldades, nada impede de acomodarem-se em outra posição. A mãe pode afastar as pernas e deixar o bebê sobre o chão forrado com uma toalha ou colchonete, pode cruzar as pernas e colocar o bebê a frente sobre a toalha ou usar o trocador para acomodar o bebê. Lembre sempre de experimentar e observar. É muito importante que ambos estejam confortáveis para desfrutarem plenamente deste momento tão especial.

O PEITO: As duas mãos se apoiam no centro do peito.
Separe as mãos, cada uma para um lado, como se estivesse com um livro aberto à sua frente e você quisesse deixar as páginas bem achatadas (de 3 à 6x). Agora as suas mãos vão trabalhar alternadamente. Primeiro as mãos ficam apoiadas nas laterais do abdome, cada uma de um lado, a esquerda permanece ali e a direita desliza sobre o peito até o ombro oposto. Depois inverta o movimento: a direita permanece no ponto inicial e a sua mão esquerda desliza até o ombro esquerdo do bebê. O movimento forma uma linha diagonal. Repita algumas vezes, um lado depois o outro, alternadamente.

O BRAÇO: Vire o bebê de lado. Com uma das mãos você segura a mão do bebê para esticar o bracinho e com a outra mão você forma uma espécie de bracelete que vai do ombro e sobe até encontrar com a outra mão. Agora você alterna. A mão que segurava a mão do bebê vai para o ombro e sobe envolvendo o bracinho, repetindo o trajeto. As mãos se revezam (de 3 à 6x).
Agora as mãos vão trabalhar simultaneamente, mas em sentido inverso, fazendo um movimento de rosca ao redor do bracinho com se torneasse o braço do bebê, do ombro até o punho. Ao chegar ao punho, as suas mãos voltam ao ombro e recomeçam (de 3 à 6x ).

A MÃO: Massagear a palma da mão na direção dos dedos. Puxar delicadamente dedo por dedo (1x) e depois puxar todos os dedos juntos (3x). Virar a criança para o outro lado e fazer o mesmo com o outro braço e a outra mão.

A BARRIGA: As suas mãos trabalham uma depois da outra. Partindo da base do peito, onde se iniciam as costelas, as mãos descem até a parte de baixo da barriga. Você traz as suas mãos, uma após a outra, de volta para você. Elas fazem o movimento de ondas, parecendo esvaziar a barriga do bebê (de 3 à 6x). Agora a sua mão esquerda segura os pés do bebê mantendo as pernas verticalmente esticadas. O seu antebraço direito vai fazer o mesmo movimento de vai e vem, sempre do alto para baixo, isto é, de volta para você (de 3 à 6x). Agora, você vai fazer movimentos circulares na barriga do bebê usando as duas mãos. A mão esquerda permanece sempre em contato com a barriga e a direita passa por cima da esquerda quando a encontra. O movimento é lento e no sentido horário.

A PERNA: Ou de modo mais exato, os membros inferiores. Você vai proceder exatamente como fez com os braços. Deixar as pernas esticadas para o alto. As suas mãos formam um bracelete e enquanto uma segura o tornozelo a outra escorrega da base da coxa até o tornozelo. Ao se encontrarem as mãos se invertem (de 3 à 6x). Fazer o movimento de rosca (torção). As duas mãos trabalham juntas, porém em sentido inverso, fazendo movimentos da base da coxa até o tornozelo (de 3 à 6x).

O PÉ: Você vai massagear a planta do pé. Usando os polegares massageie os calcanhares, meio do pé... Puxe delicadamente os dedos um por um (1x) e/ou puxe todos ao mesmo tempo (3x). Depois com a palma de sua mão aberta faça movimentos mais rápidos do calcanhar para os dedos do pé (3x).

AS COSTAS: Este é um momento especial. Coloque a criança de bruços (barriga do bebê apoiada nas suas coxas). A criança vai ficar na transversal com a cabeça a sua esquerda. De um lado a outro Você coloca as mãos nas costas da criança na altura dos ombros e alternadamente faz movimentos para frente e para trás. Uma mão vai para frente e a outra para trás, alternando-se e descendo na direção do quadril. Agora, fazendo o mesmo movimento de vai e vem, você volta, subindo, do quadril até a região dos ombros. (de 3 à 6x) Ao longo das costas Agora apenas a sua mão esquerda vai trabalhar. A mão direita fica apoiada nas nádegas do bebê, descendo da nuca até as nádegas, depois você eleva a mão e volta para a região da nuca, recomeçando o movimento. (de 3 à 6x). Ao longo das costas e até os pés Este movimento é parecido com o anterior. Agora a mão direita segura os tornozelos, elevando suavemente as pernas do bebê. A mão esquerda percorre as costas do bebê de alto a baixo, mas em vez de parar na altura das nádegas, continua seu movimento, percorre as coxas, pernas, até os calcanhares. A mão direita continua segurando as pernas do bebê e a esquerda solta o corpo de volta para o ponto de partida, recomeçando o movimento (de 3 à 6x).

O ROSTO: Esta parte pode ser feita no início ou no final da massagem. De acordo com a receptividade do bebê. Não use o óleo nas primeiras práticas, até o bebê se acostumar com o óleo. Depois, quando ele estiver mais adaptado e você sentir necessidade, pode colocar algumas gotas do óleo nas mãos, esfregar bem até sentir que estão aquecidas.
A partir do meio da testa os seus polegares deslocam-se para os lados até as têmporas. A seguir retorna para o meio para recomeçar.
Os polegares se apoiam entre as sobrancelhas e escorregam até a lateral dos lábios.
Escorregar os polegares do nariz até as orelhas.
Apoiar os polegares entre a parte superior dos lábios e o nariz e deslizar do meio para fora.
Repetir o mesmo movimento no queixo. Ambos os polegares são colocados abaixo do queixo e deslizam da metade do queixo, ao longo do maxilar, para fora.


ORELHAS: pegue cuidadosamente as orelhas entre o indicador e o polegar e massageie com o polegar suavemente as conchas da orelha, fazendo pequenos movimentos circulares. Puxe delicadamente os lóbulos das orelhas.


BANHO DE BALDE:

A transição para o mundo externo é extremamente traumática para os bebês. Por nove meses eles se sentiram seguros e protegidos, envolvidos pela água dentro do útero materno. Eles estão satisfeitos e felizes no seu mundo familiar, mas tudo isso muda drasticamente quando nascem. Novas circunstâncias, muitas pessoas, ruídos estranhos, luz e nova respiração, podem significar stress para o recém-nascido, especialmente dentro dos 5-6 primeiros dias. Para alguns bebês o stress continua por vários meses dando aos pais dias instáveis e noites perturbadas. É muito comum também, bebês que até os 2-3 primeiros meses, fiquem tensos e chorem quando tomam banho. Existe uma maneira bastante simples para os pais fazerem o começo da vida de seus bebês mais fácil: um banho diário de balde traz a segurança do útero da mãe de volta para o bebê. Apesar do bebê ficar bem acomodado no balde, nunca deixe o bebê sozinho. Esteja atento. Você pode apoiar a mão em baixo do queixo do bebê ou segurar delicadamente na sua nuca. Para os recém-nascidos você pode envolve-lo em uma fralda ou toalha para que ele se sinta mais seguro. bebê com 1 mês.


      Bebes – recém-nascidos – camomila – lavanda (01 a 03 gotas em 30 ml de óleo carreador).
1 a 12 meses – camomila, lavanda, tangerina, eucalipto glóbulos, tea tree (03 a 05 gotas em 30 ml óleo carreador).
Crianças – 1 a 5 anos acrescentar gerânio + os óleos acima (05 a 10 gotas em 30 ml de óleo carreador).
Crianças – 5 a 7 anos acrescentar gengibre + os óleos acima (05 a 12 gotas em 30 ml de óleo carreador).
Crianças – 7 a 12 anos – cipreste, alecrim, hortelã pimenta ou do Brasil, limão tahiti ou siciliano + os óleos acima (05 a 15 gotas em 30 ml de óleo carreador).
Obs.: até 7 anos – ½ dose mínima recomendada
          12 anos após – quantidade mínima 1%.