segunda-feira, 15 de abril de 2013

Pesquisas sobre o óleo essencial de Mirra

Nova pesquisa sobre os benefícios do óleo de Mirra

 

Pesquisadores identificaram um composto no óleo essencial de mirra, um dos presentes dados a Jesus pelos três Reis Magos, que eles acreditam poderia ser desenvolvido em um potente agente anti - cancerígeno. O composto, que mata as células cancerosas em laboratório, mostra a promessa particular para a prevenção e tratamento do cancro da próstata e da mama, de acordo com os investigadores.
A descoberta é o primeiro a identificar um composto anti - câncer de mirra,  dizem. Ele aparece na edição impressa atual (26 de novembro) do Jornal de Produtos Naturais, um jornal da American Chemical Society,  a maior sociedade científica. Foi publicado na versão Web da revista em 25 de outubro.
Esta descoberta é muito importante diz M. Rafi, Ph.D., um dos co-pesquisadores do estudo e professor assistente no departamento de ciência dos alimentos da Universidade Rutgers, em New Brunswick, Nova Jersey. Otimista de que este composto possa ser muito utilizado, diz ele. O pesquisador adverte que o composto não foi ainda testado em animais ou seres humanos.
Como parte de uma grande procura de compostos anti - cancerosos de plantas, os pesquisadores obtiveram a partir de extratos de uma espécie particular de planta mirra (Commiphora myrrha) e foi testado contra uma linha celular humana de tumor de mama (MCF-7) conhecida por ser resistente aos fármacos anti-cancerígenos. Os dados da pesquisa indicaram que o extrato matou todas as células cancerosas em laboratório.
Investigações adicionais para isolar o componente ativo que é um composto único e previamente desconhecido pertencente a uma classe chamada sesquiterpenos, que são normalmente encontrados em produtos naturais. Rafi indicou que um número cada vez maior de compostos desta classe têm sido identificadas como tendo propriedades citotóxicas contra linhas de células cancerosas, mas não tenham atingido a fase de comercialização.
O composto de mirra parece matar as células cancerosas através da inativação de uma proteína específica, denominada proteína Bcl-2, a qual é produzida em excesso pelas células cancerosas, particularmente na mama e próstata. Superprodução desta proteína é creditado por promover o crescimento das células cancerosas e as células se tornam mais resistentes à quimioterapia. Como o cancro é influenciado por muitos mecanismos, os investigadores estão atualmente em processo de determinar se o composto também possui outros mecanismos de ação inibitória contra as células cancerosas.
Com base nos testes laboratoriais iniciais, o composto não parece ser tão forte como fármacos quimioterapêuticos convencionais, tais como o paclitaxel, vinbalstine e vincristina, que são conhecidos por serem assassinos potentes de cancer. Essas drogas são altamente tóxicas para as células saudáveis, no entanto, diz Rafi.
O pesquisador estima que o composto testado é 100 vezes menos potente do que o paclitaxel. O composto parece cair dentro da gama de força moderada de outros fitoquímicos recentemente descobertos (isolado a partir de plantas), incluindo o resveratrol (a partir de uvas), genestein (de soja) licopeno (à base de tomate) e catequinas (de chá). A boa notícia é que estes compostos vêm de alimentos e não são susceptíveis de serem tóxicos para células saudáveis, o que poderia significar menos efeitos colaterais como um agente de quimioterapia, diz o pesquisador.
Uma vez que o composto for melhor compreendido,  possível que sua potência poderia, eventualmente, ser aumentada, diz o pesquisador, que prevê que ele poderia ser desenvolvido como uma droga oral. Rafi prevê que pode haver outros compostos na mirra que são mais potentes do que o candidato ctual anticancerígeno embora ainda deva ser isolado a partir da planta.
Desenvolvimento de qualquer droga anti - câncer de mirra pode levar de cinco a dez anos, diz Rafi. Os estudos em animais do composto atual são planejados. Os pesquisadores estão em processo de depósito de uma patente sobre o composto anti - cancerígeno.
A Mirra é a resina seca obtida a partir de uma das várias árvores do género Commiphora. O sabor amargo, resina perfumada tem sido usado por milhares de anos como uma pomada, perfume, incenso e fluido de embalsamento.
Como um composto medicinal, que tem sido utilizado para auxiliar em dores, curar feridas e neutralizar o mau hálito. Existe alguma documentação que algumas civilizações antigas podem ter usado até mesmo a planta para combater o câncer. Se for assim, o presente estudo representa a primeira evidência científica de sua eficácia, dizem os pesquisadores.
Mirra hoje pode ser encontrada em lojas de alimentos naturais como ingrediente em pasta de dentes naturais e bochechos, onde é utilizada como uma alternativa a um fluoreto para combater a cárie dentária. Também está disponível na forma de cápsulas, como um chá, e como um extrato.

Mas seu uso em óleo essencial, para tratamentos de feridas em mucosas úmidas, tal como afta na boca é indescutível. Seu uso também se dá em aromatização ambiental quando se desja a proteção dos ambientes, tanto em nível energético, mas também por suas propriedades, por seu composto em alta porcentagem de sesquiterpenos como indica este artigo. Quem sabe os antigos, não sabiam destes usos à muito mais tempo que nós, e seus uso, e dado a Jesus Cristo pelo reis magos, estes sabiam de todas estas propriedades, que hoje buscamos em forma de ciência, observável, mensurável e registrável, e assim fizeram deste óleo um presente muito importante.

Caso tenha interesse em adquirir este produto:http://www.lojabysamia.com.br/home

2 comentários:

  1. Adorei!!! Grata pela informação!!!! Bj

    ResponderExcluir
  2. Imagine, estou sempre pesquisando e estudando para repassar as informações!

    ResponderExcluir